segunda-feira, 18 de maio de 2015

tu, eu e benjamin clementine em Heimathafen Neuköln

sim tens razão
eis chegado sem mais demora
o tempo da despedida da infância
é uma decisão só tua e a ninguém
podes atribuir a culpa se hoje a maioridade
com o acalento da sua voz te fala do futuro
e da aritmética das relações
pousa então aí as mãos sobre o marfim
pressiona e martela as cordas tensionadas
e que tão maviosamente se entrançam
com estas interiores harmonizando com os vibratos
estes dedos que aqui tenho porém são de madeira
se tocam o teu rosto incendeiam-(se/no)
e não mais poderei contar a passagem das horas
ou sentir a melodia da beleza de todos os teus lábios

*

yes you are right
with no further ado it has come
the time of childhood's farewell
it is your own decision and to no one
can you impute the blame if today adulthood
with the comforting of its voice speaks of the future
and relationship's mathematics
leave then your hands over the marble
press and hammer the tensed chords
that so softly braid
with these interior ones harmonizing with vibratos
yet these fingers that i have are made of wood
if they touch your face it/they will burn
and no longer will i be able of counting the passage of the hours
or feel the beauty melody of all your lips

2 comentários:

Maria Eu disse...

Benjamim Clementine é fantástico! :)

Fernando Machado Silva disse...

sim é; e ao vivo fenomenal