domingo, 30 de setembro de 2012

conjugação

aprendi a conjugar, tenho o corpo como prova -

                                                                           as suas mazelas, o lábio superior inchado, com um edema no seu interior arroxeando-se, o debaixo levemente magoado e também com nódoa, um dente incisivo que antes se sobrepunha sem muita intromissão sobre o outro viu-se endireitado, como se tivesse andado de aparelho; e nele, ao espelho, posso ver algumas estrias, pequenas fracturas, fissuras de onde, a seu tempo, se partirá, infelizmente 

 - esse terrível verbo: cair do sodré

2 comentários:

cristina disse...

não te coube no pé?
- o sapato (?)

benjamim machado disse...

o rodrigo bem dizia.

olha, agora já sei que deus não põe os pés no "caos do sodré", porque isso de "ao bebé e ao borracho pois deus a mão por baixo" tem muito que se lhe diga