quinta-feira, 1 de março de 2012

não ninguém vai falar
de nós. estarei morto 
ao contrário do logro de esperança
escrito noutras páginas pela tua mão
tomado pelo luto dos teus lábios noutros

fecho os olhos
quanto dura um coração no escuro
de nenhum porto
uma despedida (quantos dias faz)
e já tu de viagem para outro corpo


não ninguém diga
tu ou eu
nada merece a memória
uma palavra
este corpo de fantasmas
abandonado uma e outra vez




2 comentários:

je suis...noir disse...

...e gosto disto.

é bom encontrar uma "linguagem" com a qual me identifico.

benjamim machado disse...

fico contente. obrigado (foi a única coisa que consegui dizer).