sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

poema antigo (revisão) - wielopole, wielopole

Para Tadeusz Kantor


tropas a marchar, sobre um
fundo a preto e branco e terra batida,
pisam fotografias. mortos a duas dimensões.
as suas mãos, lentamente moviam-se
da poeira para o armário
(lá, guardavam-se as flores
mortuárias. as que se irão dar à noiva judia.

lavam-se as mãos
com essa água
depois de pisadas bem
as flores do enterro).

as portas fecham-se
sempre antes do tempo
da vida da madeira (as suas beiras
carcomidas por dentro
até surgirem pequenos buracos
fungos).

Kantor despediu-se dobrando
a toalha branca da mesa do jantar
de núpcias. todos mortos.
não esquecer. quem
dobra as mortalhas dos palestinianos?

Sem comentários: