domingo, 16 de janeiro de 2011

vamos dar um passeio e vemos
o grande halo, olho enorme, de nuvens
da lua. o frio pouco interessa
por esses caminhos à noite, só o medo
é tema suficiente ou a vergonha
desta pouca vida que nos cabe.
o que cada um seguiu crendo
ser o melhor para si, tu
o teu, eu o meu - nunca
pensámos fazer outra coisa -
e que nos juntou, aproxima agora
- e ainda não pensamos
fazer outra coisa de nós - o gosto
amargo da angústia e depressão
- dispensem-nos o discurso
dos trilhos duros e espinhosos
a vida é para hoje, embora vinda
de amanhã. vá, chega-me
a tua boca à minha.
não permitamos, para além
do futuro, que nos levem
também este corpo a corpo.

Sem comentários: