sábado, 6 de junho de 2015

a mentira mora no céu da boca (cont.)

3.
levas a mão à boca fechas os
olhos tapas os ouvidos como
as três figuras numa única
ou assim te sentes após este
confronto de realidades tão
transparente e tendenciosa
é o véu e a vista de quem de
nenhum facto faz justiça e te
isola na dura companhia
da tua consciência vendo
o teu palato ensombrecer-se

2 comentários:

Liliana Gonçalves disse...

Desconhecia este lugar de partilha de poesia.

Virei aqui mais vezes, de visita.


Cumprimentos,

Liliana.

Fernando Machado Silva disse...

obrigado. espero que goste das suas visitas por aqui.

cumprimentos