sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

sobre bártok/mikrokosmos (hoje à noite)

(isto não é uma crítica ao espectáculo)


embora tenha gostado do bloco, o que mais apreciei foi o quator nº4 - a última coreografia - e da qual, recorrentemente, me vinha aos lábios o título do segundo volume de proust. eu olhava aquelas raparigas a dançar e descobria-me à sombra das raparigas em flor.


Sem comentários: