quinta-feira, 26 de agosto de 2010

e termina a longa noite

caída na cama,
desguardo-te o corpo,
a pele tisnada, a carne
sossegada, deixo a pulseira
no tornozelo, a tatuagem
doutros tempos. faço
a cama no teu ouvido
aos sonhos: boa-noite

8 comentários:

T disse...

Voltas em grande.

cristina disse...

concordo inteiramente!
e obrigada

benjamim machado disse...

ui, que até já me veio uma lágrima ao olho (eheheh). obrigado

João Moita disse...

Assino por baixo.

N disse...

Joao

Gosto do teu trabalho, por vezes na poesia e mais a mensagem que a forma, na poesia contemporanea, penso que a nova forma e mais a frase que o verso. Este pedaco esta muito bem forjado.

Muito bom

N

benjamim machado disse...

agradeço-te o comentário, sinceramente, mas ao mesmo tempo fico a estranhar, será que foi para mim? é que não me chamo joão... ah, será isto para o joão moita? realmente os escritos dele são muito bons, já lhe disse também... mas foi no blog dele ou pelo mail... bom, vá, não faz mal, podem comentar positivamente os meus amigos aqui que eu não me importo.

abraço N
e volta sempre

N disse...

Oi Benjamin

Desculpa la a gaffe, o Joao que esta referido e um tipo a quem aluguei um apartamento de ferias para um amigo. Eu nao escrevo directamente em forms, uso UltraEdit e depois paste no form, um fragmento com o "Joao" ficou la por engano. E apenas um habito da profissao, e as horas sem sono nao ajudam por vezes.

Refiro-me ao teu poema, mas ja que recomendas vou tambem ver o blog do Joao Moita.

Abraco

N

benjamim machado disse...

não há problema N, compreendo perfeitamente e mais uma vez obrigado. volta sempre.

abraço