segunda-feira, 26 de abril de 2010

a infância que não foi a tua

mundo de aventuras
de leituras desenfreadas
em luta contra o tédio
das doenças de cama
na segunda infância,
essa em que a imaginação
se torna o vulcão de toda
a solidão. não foram amigos
teus os cavaleiros da távola
ou da triste figura (catorze
anos mearam a mudança
das feições, como hoje, tantas
vezes a boca, de gôndola, se arqueia
no teu rosto de lua cheia).
nada disso foi teu,
tiro aos pássaros,
saqueamentos a árvores de fruto
mergulhos suicidas de rochas
ou de chaminés de barcos
destroçados, o medo e o amor
sempre te impediram os altos voos
de Ícaro. não és melhor
nem pior pessoa por falta
dessas memórias e não choras
pela infância que não foi a tua.

3 comentários:

Anónimo disse...

Este está bom, parabéns.

Gui disse...

Tb gostei!*

benjamim machado disse...

obrigado e obrigado. de vez em quando lá se consegue um